.

Segunda a Sexta de 8:00 às 18:00h

Sábados de 8:00 às 12:00h

PÁGINA INICIAL

INSTITUCIONAL

NOSSOS PLANOS

GUIA MÉDICO

NOTÍCIAS

VÍDEOS

FALE CONOSCO

 

NOTÍCIAS


 

10/03/2016

DIA MUNDIAL DO RIM 2016

A doença renal crônica em crianças é relativamente rara, porém quando ocorre, traz consequências devastadoras para as crianças acometidas e o tratamento dessa condição de alta complexidade é difícil, caro e trabalhoso. Particularmente em crianças, a DRC está associada a consequências graves para o crescimento o desenvolvimento dos pacientes e representa redução significativa na esperança de vida ao nascer.

O diagnóstico precoce da DRC é um objetivo mundial como estratégia de prevenção secundária dessa condição buscando o diagnóstico, e o tratamento precoces de crianças com DRC. Existem evidências científicas de que a progressão da doença renal pode ser retardada, desde que o diagnóstico seja feito a tempo de permitir a adoção de medidas terapêuticas apropriadas. Essa ação, se adotada plenamente em nosso meio, poderia lograr redução nas consequências da DRC nas crianças, adolescentes e mesmo em adultos.

Em nosso País há diferenças regionais importantes na incidência e prevalência da DRC, com maior frequência da doença nas regiões Sul e Sudeste, em detrimento do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Além disso, o diagnóstico na maioria das vezes é tardio e incompleto. A situação clinicamente mais frequente é o estabelecimento do diagnóstico da DRC já em sua fase terminal, fazendo com que os benefícios potenciais do diagnóstico mais precoce sejam pouco aproveitados.

O Dia Mundial do Rim de 2016 centra-se na doença renal na infância e os antecedentes da doença renal do adulto, que podem começar na infância. A doença renal crônica (DRC) na infância é diferente dos adultos, sendo as anomalias congênitas e as doenças hereditárias os diagnósticos mais frequentes, enquanto glomerulopatias e doença renal por diabetes incomuns em crianças. Além disso, muitas crianças com lesão renal aguda acabarão por desenvolver sequelas que podem levar à hipertensão e doença renal crônica na infância ou mais tarde na vida adulta.

Porque existem disparidades no acesso aos cuidados de saúde, é necessário um esforço de modo a que as crianças com doença renal, onde quer que vivam, possam ser tratadas de forma eficaz, independentemente das suas circunstâncias geográficas ou econômicas. Nossa esperança é que o Dia Mundial do Rim informará os formuladores de políticas públicas e os cuidadores sobre as necessidades e possibilidades que cercam a doença renal na infância.

 

A Prevenção da Doença Renal começa na infância

O objetivo é incentivar e facilitar a educação, a detecção precoce e um estilo de vida saudável nas crianças e seus pais para combater o aumento de doenças evitáveis nos rins. A campanha também quer alertar para a importância do tratamento de crianças com problemas renais.

Em 2015, o Brasil foi o terceiro país do mundo com maior número de atividades, ações e iniciativas no Dia Mundial do Rim. A presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, Dra. Carmen Tzanno, foi nomeada embaixadora do Dia Mundial do Rim no Brasil e estará à frente das ações dessa iniciativa.

Foram realizados filmes sobre o DMR em várias línguas para estimular a divulgação da data, e a Dra. Carmen teve a honra de estrear a iniciativa (veja nos sites do WKD e da SBN). “O Dia Mundial do Rim é um marco para chamar a atenção de todos para a importância da prevenção das doenças renais. Mas é importante lembrar que atuamos diariamente para mostrar que a prevenção é o melhor caminho para cuidar dos rins. A SBN está sempre de portas abertas para os médicos e toda a população”, destaca.

Esta edição do DMR 2016 vai ser especial. O Departamento de Nefropediatria da SBN, representado pela Dra. Maria Goreti Penido, e o Departamento de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria, representado pelo Dr. Paulo Koch, juntamente com o Departamento de Epidemiologia e Prevenção da Doença Renal da SBN, representado pela Dra. Gianna Krisztajn, e a Diretoria da SBN, representada pela Dra. Carmen Tzanno, unirão ideias e forças para promover atividades e disseminar conhecimento.

Nesta 11ª edição da campanha, a ideia é somar ações para aumentar a conscientização da importância de identificar e tratar as doenças renais na infância e construir as gerações futuras mais saudáveis. O alerta busca alcançar crianças, pais, cuidadores, responsáveis, políticos e o público em geral.

O QUE VOCÊ PODE FAZER?

  • Compartilhar o conhecimento e informar as pessoas sobre a importância dos rins e a gravidade da DRC.
  • Encorajar a adoção de hábitos saudáveis (reduzir o consumo de sal, manter dieta saudável, beber água e praticar atividades físicas, por exemplo).
  • Incentivar profissionais de saúde a educar as pessoas sobre diabetes e hipertensão como fatores de risco para o desenvolvimento da DRC e a importância da manutenção de estilo de vida saudável.
  • Trabalhar junto com lideres comunitários para aumentar o conhecimento sobre a saúde dos rins e a DRC. Inclusive incentivar a doação de órgãos, em especial os rins.
  • Auxiliar profissionais de saúde na implantação de programas de prevenção da DRC.
  • Distribuir os folhetos, cartazes e adesivos que você recebeu da SBN (em breve, disponibilizaremos formulário para pedidos).

COMO VOCÊ PODE AJUDAR?

Na semana do dia 10 de março, mobilize o máximo de pessoas possíveis! E faça, por exemplo, ações como as descritas a seguir:

  • Campanhas de prevenção: faça a aferição da pressão arterial, glicemia e exame de urina. Verifique o peso, a altura, circunferência abdominal para calcular o IMC e o risco cardio vascular. Informe as pessoas sobre os fatores de risco e a prevenção da DRC.
  • Atividades físicas coletivas: Caminhadas, passeios ciclísticos, exercícios físicos, danças, corridas… Lembre-se de informar as pessoas sobre a DRC sempre que puder.
  • Eventos informativos: palestras ou workshops.
  • Converse com a imprensa.
  • Tome um copo de água e ofereça outros. Registre estes momentos e compartilhe em redes sociais, convidando as pessoas a fazer o mesmo. Reforce a ideia que beber água ajuda a proteger seus rins. Use #DiaMundialDoRim, #umcopodeágua, #worldkidneyday e #glassofwater.

1. O que é o Dia Mundial do Rim?

Toda segunda quinta-feira de Março, celebramos o DMR para aumentar a informação sobre a DRC e destacar a urgência de agirmos para prevenir e tratar essa doença. Cerca de 10% da população mundial sofre de algum tipo de doença renal, e anualmente milhões de pessoas morrem devido a complicações decorrentes da DRC. A Campanha do Dia Mundial do Rim convida o público a 3 atitudes:

  1. Conhecer mais sobre a DRC e a prevenção resumida nas 8 regras de ouro.
  2. Procurar um médico caso tenha dúvidas ou esteja no grupo de risco
  3. Compartilhar essas informações com familiares e amigos.

2. O que os rins fazem?

Os rins são dois dos órgãos mais importantes do corpo humano. Controlam o volume de água do corpo. Filtram o sangue para retirar as impurezas e produzem hormônios, substâncias que ajudam no controle a pressão arterial, na renovação das células do sangue e na absorção de nutrientes (cálcio, por exemplo) dos alimentos que ingerimos.

3. O que é DRC? Como é tratada?

Doença Renal Crônica (DRC) é a perda progressiva da função dos dois rins. Quando os rins falham e a capacidade de funcionar cai abaixo de determinado nível, o que chamamos de insuficiência renal, as impurezas não são retiradas do sangue e afetam os órgãos do nosso corpo, como o coração, pulmões, músculos, estômago e cérebro. Isso pode se tornar uma ameaça à vida da pessoa e requer atenção urgente. Atualmente não existe cura para a DRC. Os tratamentos atuais são as diálises (filtragem do sangue por outros meios) ou o transplante (que depende de um doador compatível), e devolvem parte da qualidade de vida do paciente.

4. Como é detectada?

No começo, a DRC não tem sintomas. A pessoa pode perder 90% da função renal sem perceber. Por isso a prevenção e a detecção precoce são essenciais, pois permitem controlar o avanço da doença e a necessidade de tratamentos mais complexos. Exames de urina e de sangue podem detectar o início da doença.

5. Quais são as causas da DRC? Quem está no grupo de risco?

Hipertensão arterial (pressão alta) e diabetes são as causas mais comuns de DRC. Pode afetar pessoas de todas as idades e raças. O risco é maior para pessoas mais velhas, pessoas que sofrem de diabetes e/ou pressão alta, tem pessoa na família que tenha DRC ou seja de origem africana, hispânica, oriental ou aborígene. Se a pessoa está no grupo de risco deve obrigatoriamente consultar um nefrologista periodicamente.

6. Como prevenir a DRC?

Seguir as 8 regras de ouro é um bom início para a prevenção da DRC:

  1. Mantenha-se em forma e pratique atividade física regularmente.
  2. Controle o nível de açúcar no sangue (glicemia) para evitar o diabetes.
  3. Monitore sua pressão arterial.
  4. Mantenha sua alimentação saudável e evite o sobrepeso.
  5. Mantenha-se hidratado, tomando líquidos não alcóolicos.
  6. Não fume.
  7. Não tome remédios sem orientação médica.
  8. Consulte um médico regularmente para verificar a situação dos seus rins.

 

Fonte: Sciedade Brasileira de Nefrologia.

 

Outras Notícias

 

   

 

UNIDADES

Encontre uma unidade próxima de você:

 

 

 

 

 

 

2018 - © Todos os direitos reservados